lúpus e gravidez

Tudo o que você precisa saber sobre lúpus e gravidez

O lúpus é uma doença autoimune, ou seja, na qual o próprio sistema imunológico ataca diferentes tecidos do corpo, provocando inflamações e consequências mais graves à pele, cérebro, rins e diversos outros órgãos. Além disso, trata-se de uma doença que atinge predominantemente mulheres, mais especificamente na proporção de nove pessoas do gênero feminino para apenas uma do gênero masculino, o que incita uma série de perguntas em relação ao lúpus e à gravidez.

Mulheres com lúpus podem engravidar?

Sim, a gestação em mulheres com lúpus é totalmente possível, mas, como em qualquer outra doença crônica, ou seja, que persiste por um período maior do que seis meses, o acompanhamento médico e a atenção antes, durante e após a gravidez devem ser redobrados.

Quais os cuidados necessários antes da gestação?

O primeiro ponto é esperar ao menos dois anos do diagnóstico da doença antes de partir para as primeiras tentativas de gravidez. Esse período é suficiente para que a doença se estabilize.

Além disso, é fundamental que a mulher esteja com a doença estabilizada há pelo menos seis meses, pois, com a estabilização, as doses de medicamentos são mais baixas, fazendo com que a gestação seja mais saudável tanto para a mãe quanto para o bebê.

Quais os cuidados durante a gestação?

Em relação ao corpo da mãe, é necessário tomar cuidados em três principais áreas que costumam ser mais problemáticas na relação entre lúpus e gravidez: funcionamento do rim, peso e pressão arterial. Além disso, como a doença produz anticorpos que coagulam o sangue, chamados de antifosfolípides, em alguns casos, pode ser necessário o uso de medicação anticoagulante.

Como se trata de uma gestação de risco, outras complicações podem ocorrer, incluindo o diabetes gestacional, parto prematuro e pré-eclâmpsia, um tipo de disfunção nos vasos sanguíneos.

O bebê corre risco de nascer com a doença?

Sim, mas vale frisar que essa não é uma regra, pois apenas uma pequena porcentagem dos bebês de mães portadoras do lúpus nascem com a doença.

No entanto, a maioria dos recém-nascidos nasce com o chamado lúpus neonatal, caracterizado por manchas na pele devido à sensibilidade à luz. Contudo, isso não deve ser motivo de preocupação, pois o quadro costuma desaparecer por completo até os nove meses de idade, não deixando nenhuma sequela.

Portanto, tomando as devidas precauções e sempre tendo acompanhamento médico de um reumatologista e de um pediatra, mulheres com lúpus podem sim engravidar, mas devem estar cientes dos cuidados redobrados e das possíveis frustrações que terão que encarar antes, durante e após a gestação.

Além disso, na relação lúpus e gravidez, mais especificamente durante a gestação e no pós-parto, os sintomas do lúpus na mulher podem ser agravados. É necessário que haja ciência de tais riscos.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como reumatologista em São Mateus!

 

Comentários

O que deseja encontrar?